Slides Posts Recentes

Resenha - A culpa é das estrelas


Titulo: A culpa é das estrelas
Autor: John Green
Editora: Intríseca
Páginas: 288


Sinopse  Hazel é uma paciente terminal. Ainda que, por um milagre da medicina, seu tumor tenha encolhido bastante — o que lhe dá a promessa de viver mais alguns anos —, o último capítulo de sua história foi escrito no momento do diagnóstico. Mas em todo bom enredo há uma reviravolta, e a de Hazel se chama Augustus Waters, um garoto bonito que certo dia aparece no Grupo de Apoio a Crianças com Câncer. Juntos, os dois vão preencher o pequeno infinito das páginas em branco de suas vidas.



Resenha/Opinião – No começo ficava com um pouco de receio de ler o livro, acho que pelo fato de ser para um publico mais adolescente e ter toda aquela questão de romances chicles o que muitas das vezes é uma boa consequência mais nem sempre dá certo.

Hazel tem 16 anos e convive com o Câncer de Tireoide desde os 13 anos de idade, quando deveria estar comprando roupas novas e sapatos passa a maior parte do tempo fazendo exames e tomando medicamentos. Achei toda o drama leve embora aborde um tema um tanto quanto angustiante ainda mais para quem já passou por algum tipo de trauma seja com amigos ou familiares que tiveram a doença. A narrativa é simples e nos faz entender bem o que cada personagem quer passar e passa durante a trama.

Inteligente e bem humorada eu diria, no livro aborda sim a doença mas nos faz ver que independente de qualquer situação podemos sim amar, encontrar amigos, um amor.  Hazel não queria amigos, não queria um namorado! Porém ninguém prevê o futuro, não sabemos o que esperar pois o futuro é imprevisível e foi isso o que aconteceu, tinha medo e quem não tem? Augustus Waters a fez repensar na vida, a fez enxergar que não se pode esperar que a ‘’granada’’ exploda sem ter vivido, sem ter experimentado o que a vida poderia lhe mostrar afinal a maior certeza da vida é que um dia todos nós morreremos e só porque eles tem o Câncer não significa que tem de deixar de curtir a vida, de ter amigos, de ser felz. Ela acreditava que quanto menos amigos melhor pois quando morresse ninguém sofreria enquanto Gus pensava o contrário, ele queria ser lembrado! O que fazer e pensar numa situação desta? Num relacionamento como esse?

Gostei sim do livro embora ache que algumas partes e metáforas foram forçadas. Gus com certeza fez e ainda fará muitas menininhas pirarem, não pelas metáforas, mas sim por seu jeito e carisma, ele é um doce e as vezes bobão, porém qual adolescente apaixonado não é?! Ele(o personagem e claro o John Green que o criou) me surpreendeu muito quando Gus descobre algo algo sobre o autor preferido de Hazel e a mostra. Gostaria de dizer aqui o que é porém não poderei pois se não acabarei dando spoiler, deixo desde já avisado que essa surpresa mexeu muito comigo, achei muito criativo da parte do autor criar um outro autor para a trama.

Não poderia deixar de escrever essa resenha sem citar os pais de ambos, de Hazel e Augustus que embora sejam completamente diferentes nutrem o mesmo amor por seus filhos e deixam claro que fariam tudo pelos mesmos, sim as vezes é impossível dar algo ou fazer com que se sintam melhores, mesmo assim eles estão lá, juntos. Gostaria que todos eles tivessem uma participação um pouco maior, enfim.
O final do livro assim como foi pra mim foi para todos uma grande surpresa e um tanto quanto imprevisível, pegou a todos nós e sei que também ainda vai pegar muita gente de surpresa, de fazer o queixo cair, foi um dos melhores finais que já li.



Quotes Todo salvamento é temporário — o Augustus retrucou. — Eu proporcionei a elas mais um minuto. Talvez esse seja o minuto que vai proporcionar a elas mais uma hora, que é a hora que vai proporcionar a elas mais um ano. Ninguém vai dar a elas uma quantidade infinita de tempo, Hazel Grace, mas a minha vida deu a elas mais um minuto. E isso não é pouco

Nem todo mundo que chega na sua vida, vem com a intenção de ficar. Da mesma forma, que nem todos os que se foram, queriam partir.

A vida não precisa ser perfeita para ter um amor extraordinário.

Às vezes as pessoas não têm noção das promessas que estão fazendo no momento em que as fazem.

Umas das primeiras coisas que pedem á você na emergência é que você dê uma nota de um á dez pela sua dor, mim perguntaram isso centenas de vezes e eu me lembro de uma vez em que não tava conseguindo respirar e parecia que meu peito taba pegando folgo. Eles mim pediram pra dar uma nota, embora eu não conseguisse falar, levantei nove dedos, depois quando comecei a mim sentir melhor a enfermeira voltou e mim chamou de guerreira, sabe como sei ela disse. Você chamou um dez de nove, mas não era verdade, eu não chamei de nove porque eu era corajosa, eu chamei de nove porque eu tava guardando o dez e então ele veio, o grande e terrível dez.

Mas todo mundo deveria ter um amor verdadeiro, que deveria durar pelo menos até o fim da vida de pessoa.

Ela não queria um milhão de admiradores, só queria um. Talvez não tenha sido amada por muitos, mas foi amada profundamente.

Estou apaixonado por você e não quero me negar o simples prazer de compartilhar algo verdadeiro. Estou apaixonado por você, e sei que o amor é apenas um grito no vácuo, e que o esquecimento é inevitável, e que estamos todos condenados ao fim, e que haverá um dia em que tudo o que fizemos voltará ao pó, e sei que o sol vai engolir a única Terra que podemos chamar de nossa, e eu estou apaixonado por você.

Nenhum comentário:

Postar um comentário